20 de mai de 2009

Não adianta chamar quando alguém está perdido


Urano traz uma necessidade intensa de rebeldia, de abalar o status quo, de inovar. Quanto este impulso é mal dirigido, você pode desprezar toda noção de segurança, correndo riscos imensos sem pensar nas conseqüências. Ele é um deus dos céus, e não tem a menor consideração pelas coisas terrenas como saúde, família, emprego. Assim como o céu, ele não aceita limitações.

Netuno traz o impulso para sonhar, para embelezar as situações, para idealizar. Quando mal direcionado, você pode perder toda a noção de realidade, passando a viver no seu próprio mundo interior. Ele é o deus dos mares, e assim como o oceano, sua profundidade é incalculável.

Plutão traz a força da transformação, a noção de que o momento é chegado para algo terminar, a fim de que algo novo possa nascer. Quando não reconhecido, você pode pôr a perder tudo aquilo que mais valoriza. Ele é o deus dos infernos, e seu reino não é mapeado.

O que é necessário para que alguém perceba que está no caminho errado? Há tantas respostas para esta pergunta quanto há pessoas neste planeta. Cada um de nós tem um histórico diferente, um nível de consciência e sensibilidade diferentes, uma tolerância diferente à dor e aos estímulos internos e externos.

Alguns (raros) reagem ao mais leve sussurro de suas almas. Outros, estão surdos aos gritos mais estridentes. Alguns se dispõem a corrigir o curso assim que percebem que se desviaram do trajeto planejado, outros teimam em andar mais alguns quilômetros, nem que seja para não dar o braço a torcer.

Alguns travam suas batalhas em silêncio e segredo, sem que as pessoas ao redor façam a menor idéia do que se passa. Outros, perturbam a tudo e a todos, com queixas e pedidos de atenção constantes, mas com zero disposição para realmente mudar.

Alguns reagem rapidamente ao desconforto, outros são capazes de atravessar anos a fio repetindo os mesmos padrões, por mais dolorosos que sejam. Alguns realmente solicitam e aceitam auxílio, outros só fazem de conta para poder explorar você.

Alguns estão atentos para os sinais ao longo do caminho e para os conselhos dos mais experientes, outros passam o tempo completamente alheios a qualquer coisa que possa interferir com o desenrolar de sua saga.

Alguns são ágeis na procura de soluções, outros, como as estátuas na foto acima, estão tão imobilizados em sua postura que já nem percebem os dejetos a que estão sujeitos.

Cada um carrega dentro de si seu céu e inferno particulares. E cada um escolhe em qual deles quer viver. Às vezes, é preciso chegar ao fundo do poço para querer mudar. E você, que escolhas tem feito?


Título: referência à canção Ovelha negra, de Rita Lee.
--------------
Você quer fazer seu mapa astral? Preencha e envie o formulário "Fale com Mara", no alto da coluna à direita, solicitando maiores informações.

4 comentários:

Laura disse...

"Alguns travam suas batalhas em silêncio e segredo, sem que as pessoas ao redor façam a menor idéia do que se passa"... eis minha tendência... Algo a ver com o signo? (peixes)

Mara disse...

Laura, o Sol em Peixes pode contribuir para esta tendência, mas provavelmente não é o único fator. E lembre-se: você sempre tem escolha.

Laura disse...

É... bem profundo o significado deste texto, preciso meditar mais um pouco sobre ele. Acho que na verdade em cada momento pessoal nosso, somos "um pouco assim, um pouco assado"...

Mara disse...

Laura, o ser humano é extremamente complexo. E é isso que torna a vida (e a astrologia) interessante!