13 de jul de 2009

Minha casa é uma estrada... - o Fundo do Céu


Toda estrutura precisa ter uma fundação onde se apoiar. Quanto mais alto o edifício, mais profundo deve ser seu embasamento.

Na vida agitada e repleta de valores superficiais que levamos, tendemos a nos esquecer destas verdades. Na sociedade multifacetada de hoje, o apego às raízes é considerado impróprio e obsoleto. O objetivo é estar sempre em movimento, descartando os valores e costumes de ontem em prol das novidades da hora. A meta é estar sempre na crista da onda, e não no subsolo, reforçando as colunas de sustentação.

Se você está há mais de dez anos no mesmo emprego, é considerado acomodado, e não um profissional experiente e que gosta do que faz. Se você ainda não substituiu todos os seus eletrodomésticos pela última novidade no mercado, está vivendo na idade da pedra. Se você ainda se preocupa em compreender um assunto em profundidade, antes de passar para a próxima questão na agenda, está desperdiçando seu tempo. Se seus planos para as férias não incluem conhecer dez países em cinco dias, você não sabe aproveitar a vida.

E assim continuamos nesta correria louca, sempre tão ansiosos para atingir o próximo objetivo, mas sem disponibilidade para desfrutar o que já conquistamos. Nossa recusa em olhar para trás nos faz perder de vista a intenção da caminhada.

Olhar para o passado, para nossas origens, nos permite perceber o quanto realmente avançamos. Somente medindo a distância percorrida podemos ter noção do ponto em que nos encontramos, e dos reajustes necessários para que não nos desviemos da rota traçada.

Nossa bagagem não é um inconveniente que retarda nosso progresso, mas sim a própria riqueza que nos diferencia uns dos outros. As lembranças que você carrega consigo são o que o torna um indivíduo, com uma história única para contar.

Se você quer alcançar as estrelas, seus pés devem estar firmemente plantados no chão.

Título: referência à canção Meu nome é noite vadia, de Altay Veloso.
----------------
No mapa, a casa 4 mostra quais são as suas raízes, qual é a base de sua personalidade. Por extensão, retrata sua vida familiar, seu lar. Como andam as coisas em casa, ultimamente?
---------------------
Você quer fazer seu mapa astral? Preencha e envie o formulário "Fale com Mara", no alto da coluna à direita, solicitando maiores informações.

4 comentários:

Carol disse...

Oi Mara!!

Eu tenho Júpiter na casa 4 em escorpião. É assim que se diz?
E não faço a mínima idéia do signo de escorpião.

Sobre a minha vida familiar: Eu me preocupo muito e até demais com todos; o que eles estão fazendo e o que eles não estão fazendo e o que NÓS podemos fazer, acho que isso acaba irritando a galera... rsrs.

Mara disse...

Oi, Carol. Escorpião tende a querer ir fundo nas coisas, a fim de transmutá-las. E Júpiter tende a expandir tudo o que toca. Júpiter em Escorpião na casa 4 expande as tendências de Escorpião na área da família. Lembre-se de que Júpiter também é fé e otimismo, confie num Poder Maior e tente relaxar...

Leonardo disse...

Mara,

o que teria a dizer de Plutão em escorpião no IC em oposição a Marte no MC em touro?

Mara disse...

Olá, Leonardo, seja bem vindo! Para compreender melhor as energias de Plutão, veja o post http://senhoradoscaminhos.blogspot.com/2009/03/sei-do-perigo-que-nos-rodeia-pelos.html
No Fundo do Céu, estas energias irão se manifestar na sua vida familiar.
A oposição indica duas energias atuando num "cabo de guerra", e a tendência é você se identificar com uma delas (provavelmente Marte, por ser um planeta pessoal) e projetar a outra.
O desafio aqui é compreender que ambas fazem parte de você, e procurar integrá-las.