15 de set de 2009

Daria tudo por meu mundo e nada mais... - casa 12


Por mais que lutemos, há épocas em que a luta parece perdida. Nos falta fôlego, e um cansaço enorme se instala. O menor esforço torna-se uma agonia, e tudo o que queremos é ficar bem quietinhos, esperando passar a tontura de rodar neste carrossel que chamamos de vida.

Nestas horas, amigos bem intencionados podem sugerir que devemos nos animar, partindo do pressuposto que o que sentimos é apenas um cansaço passageiro. Mas o sentimento a que me refiro aqui é muito mais profundo, é como que uma tristeza da alma, uma melancolia que parece vir das raízes do nosso ser.

Como sempre, a solução aqui é ouvir o que seu coração está pedindo e procurar, na medida do possível, atendê-lo. Conceder-se uma pausa para reflexão. Dar-se ao direito de ficar só. Por um tempo, descer de nosso cavalo branco e não procurar salvar o mundo. Passar algum tempo em silêncio e quietude, sem agir, simplesmente sendo.

Nossa alma às vezes precisa de alimento. E este alimento só pode ser encontrado no nosso refúgio particular. Como cada ser humano é único, este refúgio varia de pessoa para pessoa. Mas todos temos um ritual, uma rotina que nos consola e nos fortalece, aliviando nossas dores e nos tornando capazes de retomar a labuta.

Nosso santuário, o local aonde vamos para nos refazer, é nossa casa 12. Ali ficamos frente a frente com nossa bagagem cármica, e nela está incluída toda a sabedoria que acumulamos em vidas anteriores. Ali nos tornamos pequenos e frágeis novamente, e podemos permitir que um Poder Maior que o nosso nos acolha e nos console. Ali ficamos em silêncio, até finalmente sermos capazes de ouvir o que nossa alma está dizendo.

E ali, aos poucos, vamos sendo capazes de olhar o mundo de um ponto de vista mais elevado. Vemos a pequenez de nossos problemas, lutas e pontos de vista. Percebemos como tudo é relativo e transitório. Compreendemos que isto também, vai passar. E, finalmente, conseguimos abrir mão. Soltar todas as dores, angústias, desejos, ansiedades. E transcender.

Cara lavada, alma limpa, estamos prontos para cavalgar novamente.

Título: referência à canção Meu mundo e nada mais, de Guilherme Arantes.
--------------
Partilhe suas experiências: O que você faz quando precisa se refazer? Qual a situação de sua casa 12?
--------------------
Você quer fazer seu mapa astral? Preencha e envie o formulário "Fale com Mara", no alto da coluna à direita, solicitando maiores informações.

7 comentários:

Meru Sâmi disse...

E aqui estou eu, em plena casa doze, às 05 da manhã, vasculhando os blogs que me chamam a atenção. O que busco, os meus outros pedaços espalhados nas outras crianças zodiacais.( gêmeos com ascendente em gêmeos)Hehehe...Tristezas talvez, mas como uma preparação para a grande hora: a de nascer!

Mara disse...

Meru, o silêncio da casa 12 precede o nosso (re)nascimento...

Fernanda Botega disse...

Ahhh, sempre procurando minha casa....
Tenho mercúrio em peixes na casa 12 e vira e mexe me recolho. Mas sinto uma necessidade imensa disso , agora imagine uma ariana com ascendente em áries , a lua em peixes e esse mercúrio, rsrsrsr...

Fernanda Botega disse...

Sabia que ultimamente seu blog tem sido meu conforto? ♡

Mara disse...

Fernanda, não é fácil equilibrar Áries e Peixes fortes num mapa... ainda bem que Áries adora um desafio!
Fico feliz em saber que o blog tem sido útil, Áries e os demais signos cardinais (Câncer, Libra e Capricórnio) têm enfrentado anos bem difíceis com os trânsitos de Urano em Áries e Plutão em Capricórnio.

Fernanda Botega disse...

E quando a gente vai ter um alívio? Tá tenso.

Mara disse...

Ainda há bastante terreno a percorrer... Urano só deixará definitivamente Áries em março de 2019. E Plutão só sairá definitivamente de Capricórnio em novembro de 2024.